27 de nov de 2008

Começou assim...

" ¿Quién me va a entregar sus emociones?
¿Quién me va a pedir que nunca le abandone?
¿Quién me tapará esta noche si hace frío?
¿Quién me va a curar el corazón partío?
¿Quién llenará de primaveras este enero,
Y bajará la luna para que juguemos?
Dime, si tú te vas, dime cariño mío,
¿Quién me va a curar el corazón partío? "




10 anos depois....




"Voa, coração
a minha força te conduz
que o sol de um novo amor em breve vai brilhar
Vara a escuridão, vai onde a noite esconde a luz
Clareia seu caminho e acende seu olhar
Vai onde a aurora mora e acorda um lindo dia
colhe a mais bela flor que alguém já viu nascer
e não esqueça de trazer força e magia,
o sonho e a fantasia, e a alegria de viver..."


TE AMOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

10 de nov de 2008

agito totalllllllllllllll


Essa semana foi um corre-corre daqueles que eu gosto e sinto falta...
Na quinta fui apresentar um trabalho em um congresso em Porto, nunca tinha nem imaginado apresentar um trabalho fora do Brasil...e olha eu lá..de barrigão e tudo...e Victor deu o maior apoio que alguém poderia me oferecer...ficou la mexendo na barriguinha...rs rs e quando eu pensava em ficar nervosa..sentia um chutinho e logo sabia o que era mais importante naquele momento..VICTOR ...fiquei tranqüila,respirei e apresentei tudo na boa...tinha que ficar calma por nós...e não só por mim!!!
E DOMINGO...foi o Chá do Victor..nem acredito que estou vivendo tanta felicidade...foi muito bom poder preparar cada detalhe para ele,pensando nele...foi uma tarde agradável cercada de amigos , com o coração no Brasil, mas feliz, feliz por mim, por Victor, por Lu e por todos que amo e compartilham essa nossa felicidade!!

4 de nov de 2008


Grávida

Arnaldo Antunes / Marina Lima

Eu tô grávida
Grávida de um beija-flor
Grávida de terra
De um liquidificador
E vou parir
Um terremoto, uma bomba, uma cor
Uma locomotiva a vapor
Um corredor

Eu tô grávida
Esperando um avião
Cada vez mais grávida
Estou grávida de chão
E vou parir
Sobre a cidade
Quando a noite contrair
E quando o sol dilatar
Dar à luz

Eu tô grávida
De uma nota musical
De um automóvel
De uma árvore de Natal
E vou parir
Uma montanha, um cordão umbilical, um anticoncepcional
Um cartão postal

Eu tô grávida
Esperando um furacão, um fio de cabelo, uma bolha de sabão
E vou parir
Sobre a cidade
Quando a noite contrair
E quando o sol dilatar
Vou dar a luz