7 de jun de 2011

Das palavras

Gente, que Victor é um tagarela todos já sabem, mas eu não me canso de "babar" com suas frases e tiradas.
Ele adora o plural e sempre que possível utiliza e bem, diga-se de passagem. Agora pede tudo em dupla do tipo " quero dois pães" e as vezes vem assim:" papai vamos no habibs comprar quibes". A tentativa de usar o verbo no tempo passado é perfeita, na lógica dele, claro. Surgindo frases " mamãe, eu já pari de chorar", " papai que compri esse carro", ou seja todos verbos no passado são conjugados com o " I ". 


Na escola, essa semana a professora ficou "boba" com a frase: "Pó Alê minhas unhãs estão cheia de bactérias, temos que corta"

E assim, meu menino vai crescendo e aprendendo



28 de mai de 2011

Tagarela

Victor na sala de espera do pediatra
Senhora - Como é seu nome?
Victor - Victor
Senhora - Quantos anos você tem?
Victor - 2 aninhos
Senhora - Você está na escola?
Victor - faz silêncio
Senhora - Você está na escola?
Victor- Continua em silêncio
Senhora - Você está na escola?
Victor - Não,  eu ESTOU no médico!!!!
E a sala de espera em risos rs rs rs

 XXXXXXX


Emilia:  - Rafa, onde você vai pegar o ônibus?
Antes que Rafa respondesse....Victor reponde: NA RUA!!!

XXXXXXXXXX

Assistindo o papai em um treino de Aikidô
um rapaz, coloca uma câmera fotográfica em um tripé, intrigado Victor pergunta: o que é isso? Antes que eu pudesse responder ele solta: Ah, é o pescoço da foto!!!

14 de mai de 2011

Desfralde Noturno e outas mais...

Victor resolveu fazer o seu desfralde noturno, isso mesmo ELE resolveu. Tudo começou na quarta-feira, quando na hora de dormir ele pediu para não colocar a fralda...achei por bem "arriscar", já que foi um pedido dele e já havíamos notado que em muitos dias a fralda estava seca pela manhã! 
E SURPRESA....acordamos sem nenhum incidente....na quinta o fato se repetiu, a diferença foi que na madrugada ele foi ao nosso quarto pedindo para fazer xixi...LINDO

Eis, que ontem dormiu mais uma vez sem fraldas...hum, mas dessa vez tivemos xixi noturno...mas a questão não foi essa...o problema foi dos papais aqui. Antes de irmos dormir Victor acordou chorando que tinha feito xixi, fui ao quarto acalmei-o, Lu limpou tudo viramos o colchão e colocamos Victor na caminha outra vez...e deixamos ele SEM fraldas, eis que na madrugada o xixi se repete....fizemos tudo outra vez, com cara de sono, sem acender a luz e dessa vez levamos esse para nossa cama...e outra vez...aconteceu...na nossa cama ai finalmente tivemos "brilhante idéia" de colocarmos a fralda.. e finalmente terminamos a noite....até que cedo Victor acorda e pede: " Quero fazer xixi"

Resultado da noite:
3 camisetas
3 cuecas
2 lençóis infantis
1 lençol de casal
1 fralda limpa
Pais que definitivamente, não estão preparados para desfralde noturno.

Agora eu pergunto, o que faz dois adultos esperarem, pela 3º vez o escape de xixi para resolver colocar fraldas...?!!!

a) Falta de neurônio
b) Sono 
c) Cansaço
d)Burrice mesmo!!!
e) Todas as alternativas acima!!!

                                    XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Português:

Victor: - Papai onde está a mamãe?
Papai - Tá na casa da vovó!
Victor: - Vamos pega-la!!


Victor- Mamãe machucou!
Mamãe - Vamos passar uma Tomadinha (repetindo como ele fala)
Victor: - Mamãe,  isso se chama POMADA!!

21 de abr de 2011

Trabalhos, Páscoa e Tiradinhas

Quanto tempo não venho por aqui!!!Estou investindo no meu trabalho, retornando ao consultório, aos cursos, o que tem me deixado confusa, cansada, culpada, mas muito feliz também!!!

Uma Feliz Páscoa para todas!!!

Gente, Victor cada dia me surpreende com suas tiradinhas...


Tiradinhas


Victor: - Quieto Sua Majestade!!


Mamãe: - Majestade é o rei, filho!!

Victor: - È o sultão! (diz, com uma cara meio blasé) 


Mamãe : Onde vc aprendeu isso, fillho? (com cara de tacho)


Victor: - Eu vi em um desenho!!!!





                                             XXXXXX




Na hora de dormir... Victor já deitado e de luz apagada chego perto dele:


Vcitor - Mamãe, você ta de sutiã? (diz pegando nas mamocas da mamãe)


Vcitor - " diante seu lado, mamãe" vista sua camisola azul!!!!









24 de mar de 2011

ora bolas!

 Victor tem um vocabulário vasto e tem surpreendido a  professora da escola com suas associações e falas elaboradas.
Agora,  no alto de seus 2 anos e 2 meses ! Porém, agora resolveu incrementar suas falas com o uso de interjeições.
E suas falas agora são assim:

Olhando a Lua...Pô! mas que lua massa!
Ao receber alguma coisa ou visualisar algo que goste....UAU!!!
Quando quer alguma coisa... Puxa vida! mamãe eu quero um pouquinho de uva
Quando gosta de alguma coisa ou quer da êfase a algo. Nossa! que peixe gandão!!

Eu aguento!!???

Em tempo:
Hoje na escola aproxima-se da auxiliar de classe que carregava uma criança no colo e:

Victor- Eu também quero colinho!
Aux- Agora eu estou com seu coleguinha no colo, depois eu pego vc.
Victor- Coloca ele no chão e pega o Victor!

ai ai ai..essa vida de aprender a compartilhar é dura :)

10 de mar de 2011

Na janela

Os dias de "mato" que tivemos foram mesmo marcantes para meu pequeno, que agora pede insistentemente  uma galinha para ele dá milho, um foguete para ir no céu pegar as estrelas e uma rede para o quarto dele (pelo menos esse pedido é mais fácil :) ). Sente falta do pé de "noitecaba" (jabuticaba). Enquanto escrevo esse pequeno relato, Victor está ja janela com o papai procurando as estrelas no céu da cidade e dizendo: "Estou vendo uma estrela bilhando em cima do pédio""Victor vai precisar de um foguete"!
Sonhe meu menino, sonhe muito alto!!!

9 de mar de 2011

Carnaval

Depois de um carnaval cercado de flores, frutas, rio, sapos, galinhas, borboletas, árvores, peixes...concluo: TODA CRIANÇA TEM DIREITO AO CONTATO COM A NATUREZA!!





27 de fev de 2011

NÓS OS PAIS - Ser pai é "pai"decer no paraíso!

Desde os 23, comecei a pensar em mim como pai. Sempre achava que não estava preparado. Imaturo algumas vezes, destemperado outras. Quando com quase aos 35, finalmente tomei coragem em ter um filho.

A idéia veio aos 23, porque conheci Beta. Desde o primeiro dia, sabia que ela era o amor da minha vida e com quem gostaria de compartilhar o resto dos meus dias. Qaundo tivemos Victor, estavámos fora do país, estudando. Foi uma época única em minha (nossas) vida(s). Finalmente, depois de mais de 10 anos, me preparando, eu iria ser pai. Ao mesmo tempo que me sentia mais confiante, sentia-me também apavorado. Mas sempre fui de me jogar em novas situações. Deve ser por causa do signo de Áries.

Desde o primeiro dia de vida de meu bambino, quis tomar a frente de tudo. Dar banho, trocar a roupa, acarinhá-lo, colocar no meu peito para confortá-lo das cólicas... Só tinha uma coisa que não conseguia fazer: levantar às madrugadas para acalentar seu choro. Confesso que não me preparei para isso. Mas tudo bem, pensava, tem uma coisa que o pai não pode fazer de jeito nenhum - dar de mamar.

Dos 2 meses até aos 6, Victorico só dormia com a mãe. E queria ficar a maior parte do tempo com ela. Lembro-me uma vez que fiquei sozinho com ele, para que Beta fosse a academia. Não era a primeira vez, mas nesse dia ele sentiu muito a sua falta. Não adiantava deixar uma mamadeira com leite materno, pois mesmo que oferecesse para ele, não parava de chorar alto. Tentei o último recurso, dar de mamar. Minha lógica era a seguinte: tinha que ter algum peito para que ele passasse a sentir confortável. Que estúpido! Havia esquecido de todas as aulas durante a gravidez que tivemos. Oxitocina, leite materno, a própria maciez do peito feminino. Não seria um peito cabeludo e plano que acalentaria o pequeno. Então comecei a perceber a grande diferença entre pais e mães.

Comecei a perceber que o pai sempre seria aquele que mostra o mundo aos seus filhos, por convenção. É ele o responsável também pelo parque de diversões. Mas por que? Por que não podemos acalentá-los quando estão doentinhos? Por que não conseguimos, na maior parte das vezes, colocá-los para dormir quando as mães estão por perto? Aos 6 meses, decidi que iria passar uma noite inteira no quarto dele, mesmo que fosse para ser acordado durante toda a noite. Aquela noite, a primeira vez que ele acordou, olhou para o meu rosto e fez uma cara de espanto. Acho que foi por isso que não conseguiu chorar. Parecia que não entendia o porquê do pai estar ali naquele momento. Durante 6 meses da vida dele, só via o rosto da mãe, nas madrugadas que precisava de companhia. Peguei ele no colo, acalentei-o. Coloquei-o na cama ao meu lado. Ele adormeceu... E foi assim durante toda a noite. Na manhã do dia seguinte, não me sentia cansado. Pelo contrário. Sentia que tinha criado o maior de todos os vínculos com meu baby. Fomos para a natação, e neste dia, ele fez toda a aula comigo sem um choro se quer. Quanto a mãe? Ficou naturalmente com ciúmes, e por mais que dissesse coisas para me acalentar nos momentos em que Victor queria seu colo ao meu, sentiu que naquele momento o meu papel de pai foi além das brincadeiras diurnas.

Victor tem hoje 2 anos e 1 mês. Durante todo este tempo, sempre procurei acordar a noite. Claro que até hoje ele prefere os carinhos da mãe. Afinal, quem não prefere, não é? Mas as vezes que me dispuz a interferir nesse processo, fui sempre bem acolhido. Ontem, ele não estava bem e chorou bastante antes de irmos dormir. Peguei-o no colo, ele resistiu e se bateu para correr para mãe. Não me abati. Comecei a cantar uma das poucas músicas que conheço para bebês. Ele se acalmou. Parecia estar com cólica e me fez lembrar dos primeiros meses de vida, onde somente o meu peito o acalmava. Beta deitou na cama e puxou-o para seu lado. Ele voltou para o meu peito. Se ajeitou até achar uma nova posição. E eu, todo orgulhoso, pensava o quanto foi importante ter insistido naquele momento. Mas não usando meu lado racional, como quis fazer muitas vezes, e induzi-lo a fazer o que eu queria. Usei o lado confortador, aquele que a maioria das vezes somente a mãe sabe fazer, pois nós os homens somos treinados a sempre "usar a espada" para resolver os problemas do dia-a-dia. Naquele túnel do tempo, vi-me de volta a 2 anos atrás e o quanto era caloroso ter ele em meus braços...

Muitas vezes, não percebia o papel do pai. Nunca entendi direito o que é amar de verdade um filho, apesar de sempre o fazer. Mas nos últimos tempos, compreendi que amar é muito mais que tentar achar soluções para seu desenvolvimento... Amar é compreender sua personalidade; é saber como dizer não, sem o dizer; é compreender que os filhos tem anseios pra além dos nossos próprios, e que precisamos respeitá-los sempre, mesmo que muitas vezes, estes pareçam sem lógica ou razão de ser. Enfim, há muitos papéis para os pais, para além daqueles convencionados. Só depende de nós, tentar perceber além do óbvio e convenções, pois não é uma tarefa fácil nesse mundo corrido que vivemos!

Luciano Oliveira, papai de Victoco (Meu blog)

26 de jan de 2011

Desfralde - Aqui foi assim!

Depois de comentar minhas dicas de desfralde em dois blogs (Lilata e Diário) resolvi contar a nossa experiência aqui!

Tudo começou quando Victor, tinha 1 ano e 7 meses, quando compramos o peniquinho, mas só compramos e deixamos ele brincar a vontade. Ele sentava de fralda mesmo, ficava encantado com os desenhos (tipo troninho) e SÓ!

Quando ele fez 1 ano e 11 meses, percebi que sempre que ele entrava no banho ele fazia xixi. E eu, comecei a tirar "proveito da situação" dizendo: "Isso, Victor, você mandou o xixi sair, muito bem". E assim, foi até que ele mesmo dizia: "sai xixi". Enfim, daí para observar a mim ou pai no banheiro foi um pulo! Explicavamos que estava fazendo xixi e tal e que ele tinha o peniquinho dele.... Comecei a deixa-lo de cuequinhas (ah, antes de deixáa-lo só de cuequinha, comecei a colocar a cueca por cima da fralda...e dizendo o que era cueca, igual a do papai!!).

Só de cuequinha, deixávamos o peniquinho sempre próximo de onde ele estava brincando. Nessa fase vários xixis pelo chão, explicava que essas coisas acontecem e tal, e que ele podia fazer no peniquinho... Em 3 dias ele pediu para fazer no peniquinho e dai pronto... Só fazia no peniquinho!

O cocozinho (bem esse o processo foi outro), como ele dormia (e ainda dorme de fraldas) e sempre faz cocô logo pela manhã, ele estava sempre de fraldas!! Até que em um determinado dia, Victor fez cocô na cueca... Aproveitamos a oportunidade para falar que podia ser no peniquiho e tal. 


Bom, por acaso, encontramos um livrinho infantil - O que tem dentro da sua fralda?. Victor adorou o livro, identificou-se com o personagem... E pronto!, passou a usar o peniquino também para fazer cocô!

Fizemos aquele ritual de jogar o cocôzinho no vaso sanitário e dar tchau... Resultado: quinze dias antes de completar 2 anos, o desfralde estava completo.

Saiu (inclusive) a fralda da soneca da tarde. À noite, ainda acho cedo! E nas saídas, por falha (?) minha, às vezes o levo de fralda, pois nem sempre temos a disponibilidade de banheiro!

Ele começou a pedir para usar o "penicão" (como ele chama o vaso sanitário). Ontem compramos um redutor bem legal e colorido. Vamos começar essas idas ao "penicão", agora!!!

21 de jan de 2011

Rapidinhas

Chego em casa, após uma rápida saída, assim que abro a porta...

Victor - " E ai, as novidades!!?"

XXXXXXXXXXXXXXXXXX

No carro, enquanto levávamos Victor para a casa da vovó, na ansiedade para falar, solta:

Victor- "Quero comer uma gostosa?

Pais - Hã???

Victor - "Uma pipoca gostosa" ( Na casa da vovó sempre tem pipoca!!)

XXXXXXXXXXXXXXXX

No aniversário de dois anos, Victor que nunca tinha comido e nem conhecia as jujubas, segura um saquinho e diz: 

Victor - Eu quero!

Mamãe - Agora não, deixe seus convidados chegarem, que mamãe deixa você experimentar.

Victor (tempos depois) - Quero comer os convidados (com um saquinho de jujubas nas mãos)!


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


Na hora de dormir, lendo o livrinho do "Toctopos"(octopus)*

Victor - Cadê o outro olho do peixe? e da tartaruga?

Mamãe- Ta do outro lado, filho! (como explicar que o desenho e unidimensional?)

Victor- Papaiiiiiiiiiiiiii, pega a faca para abrir o livro....!!


*Aprendeu com o Pocoyo chamar polvo de octopus !!! rsrs