31 de out de 2007

Virei "noveleira"

Não vou negar....meus colegas pensantes podem até me criticar, mas sempre assisti uma novelinha ...nem que fosse por uma necessidade profissional (tá...nunca foi necessidade profissional rs rs rs) Mas a questão é desde que vim para as terras Tugas tenho assistido mais as novelas...no brasil eu assistia como ja confessei...mas não era com essa "gana" que assisto hoje...tenho duas teorias para esse fenômeno...1º é a idade pessoas mais velhas assistem mais novelas..como acabei de me tornar uma balzaquiana...pode justificar....rs rs a 2º é que assistindo novela fico mais perto do brasil, mesmo estando longe...
E o caso ta tão grave que acabei fazendo Lu assistir novela..foi uma luta mas consegui...kk kk ele agora sabe o nome dos personagens...e pergunta "hoje tem novela?" essa pergunta pode parecer obvia demais para nossa organização televisiva aí no brasil...mas aqui a Sic (canal que passa as novelas da globo) muda a programação, o horário das novelas e não se dá ao luxo de avisar...kkk a semana passada por exemplo, deixaram de passar um dia da semana e no sábado compensaram 2hs de novela...antes eu me estressava..mas agora me divirto...é uma emoção a mais kkkk
O fato é que ainda estamos na pergunta que mobilizou o Brasil " Quem matou thaiiiissss?" Calma, eu sei pq a internet estragou a surpresa....mas não sei como, nem pq...e não sei os outros desfechos... (ah, e Lu nem isso sabe...ele não lê sites de fofoca...ihhh fiz mais uma confissão, mas isso é para um outro poste).

Já prometi a mim mesmo que a próxima novela das 22:30 Duas Caras eu NÃO VOU FICAR VICIADA (esse é o horário que passa as novelas das 21 aí do brasil) as outras tem uns horários peculiar só dar para vê de vez em quando
(afinal estou aqui para estudar), mas a Sic não é "parva" semana que vem, duas semanas antes de acabar Paraíso Tropical, começa a passar 2 Caras antes de paraíso ou melhor coladinha com paraíso...já estou duvidando que não vá me "apegar" a essa nova familia rs rs

26 de out de 2007

Latada

Hoje começa mais uma festa dos estudantes de Coimbra a Latada, que é uma festa realizada para os calouros, ou como se diz por aqui para os caloiros. A festa tem esse nome porque os calouros percorrem as ruas das cidades com latas amarradas nas pernas (imaginem o barulho) em um cortejo que aproveitam para criticar o funcionamento da Universidade, as políticas do governo para o ensino, etc!! Há mais um detalhe os estudantes que estão no penúltimo ano do curso compram nabo para "ornamentar" as suas pastas e os calouros vão roendo a cabeça do nabo rs rs manda a tradição que o "doutor" atire o ramo do nabo ao rio mondego para que consiga acabar o curso...e claro a bebedeira rola solta!!!!
Quando chegam as margens do rio mondego, são batizados pelos padrinhos (os veteranos) que ja trazem consigo os penicos para pegar água do rio e formalizar os batismo rs rs rs...e a aprtir daí..show e festa até o dia 30...conclusão Coimbra é praticamente formada por estudantes..ou seja a cidade estará literalmente toda em festa....
Quem sabe dou uma passadinha por lá...como "pesquisador a de cultura alheia", claro rs rs e consigo umas belas fotos rs rs

18 de out de 2007

"cantando eu mando a tristeza embora"

Quando dei por mim tinha passado o dia, a noite ja se aproximava e em um passe de mágica, lá estávamos nós a espera que o show de Caetano Veloso...
Como assim? Eu em Portugal assistindo um show de Caetano?!! Foi surreal, milhares de imagens, sons e cheiros me vieram a lembrança...lembrei-me do primeiro show de Caetano que fui aos 16 anos...Clube Espanhol, na minha querida idolatrada Salvador!
Nesse primeiro show tive a certeza que Caetano cantou e tocou para mim...rs rs rs Nos outros shows que fui dele, já não foi tão mágico, não era pra mim que ele cantava....mas ontem outra vez senti... foi pra mim eh eh eh
Desde do ano passado, na minha chegada, as terras Tugas, que sempre que a saudade aperta no peito, uma música de Caê me consola....mas não tinha esperança que essa música fosse cantada ontem...afinal ele tem tantas e o o show era o Cê...mas de repente...a luz muda, e ele, para completar o meu estado de êxtase ele solta...




video

15 de out de 2007

"Tento fazer desse lugar o meu lugar,apenas por enquanto, enquanto isso durar..."

Mais um dia se passa nas terras Tugas e o clima pirou de vez...hoje fez 33 graus aqui em Coimbra, mas basta o sol esconder que a temperatura cai para uns 20...bem prefiro assim do aquele frio insuportável de doer os ossos....Espero que frio continue longe de daqui...
Eu vou tentando me organizar, estudar, viver Coimbra...e ainda bem que viver Coimbra implica em Show de Caetano Veloso...ta quase chegando o dia...hu hu
Sonho com Caetano cantando..."Coimbra do choupal ainda és capital do amor em Portugal, ainda...Coimbra dos doutores para nós os teus cantores a fonte dos amores és tu ...O livro é uma mulher só passa quem souber e aprende-se a dizer saudade"

A muito que eu aprendi a dizer Saudade!!!!!
Tenho a impressão que vou chorar muito nesse show...é bom lava a alma!!

12 de out de 2007

Dia da Criança...

Oh ! que saudades que eu tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais !
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais !
(...)

Naqueles tempos ditosos Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;

Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo,

Adormecia sorrindo,
E despertava a cantar

Casimiro de Abreu

Há um menino, há um moleque

Morando sempre no meu coração

Toda vez que o adulto balança

Ele vem pra me dar a mão

Há um passado no meu presente
Um sol bem quente lá no meu quintal

Toda vez que a bruxa me assombra

O menino me dá a mão
E me fala de coisas bonitas

Que eu acredito que não deixarão de existir
Amizade, palavra, respeito

Caráter, bondade, alegria e amor

Pois não posso, não devo, não quero

Viver como toda essa gente insiste em viver

E não posso aceitar sossegado
Qualquer sacanagem ser coisa normal

Bola de meia, bola de gude

O solitário não quer solidão

Toda vez que a tristeza me alcança

O menino me dá a mão
Milton Nascimento

10 de out de 2007

Dia da Saudade


Saudade dos sonhos de menina, do cheiro de terra molhada, do mar, do rio de contas, do cozido feito por Emilia, de falar com minha irmã no celular, de acordar cedo para caminhar na barra, das primas todas falando de um só vez, do cheiro do acarajé, de comer caranguejo, de cajaroska...


Hoje é o dia da saudade, é!
Hoje é feriado é o dia da saudade
Hoje eu vou beber para celebrar
O aniversário de seu Gaspar
Deve ter festa em algum lugar...

Hoje é feriado é o dia da saudade

Hoje não tem aula pra garotada
Velhas de varizes na calçada,
Só na saudade
Para o campeão do melhor glutão
Um pé de macarrão
O palhaço que come lixo
Limpa a avenida para o bloco
Do chorão passar

Hoje é feriado é o dia da saudade

Raul Seixas

















8 de out de 2007

Ultrapassar um sinal vermelho quase nada...

meus pensamentos divagam entre a formalização do estudo, a vida já vivida e o que eu ainda quero viver!!

2 de out de 2007

Eros e Psiquê

    Conta a lenda que dormia
    Uma Princesa encantada
    A quem só despertaria
    Um Infante, que viria
    De além do muro da estrada.

    Ele tinha que, tentado,
    Vencer o mal e o bem,
    Antes que, já libertado,
    Deixasse o caminho errado
    Por o que à Princesa vem.

    A Princesa Adormecida,
    Se espera, dormindo espera,
    Sonha em morte a sua vida,
    E orna-lhe a fronte esquecida,
    Verde, uma grinalda de hera.

    Longe o Infante, esforçado,
    Sem saber que intuito tem,
    Rompe o caminho fadado,
    Ele dela é ignorado,
    Ela para ele é ninguém.

    Mas cada um cumpre o Destino
    Ela dormindo encantada,
    Ele buscando-a sem tino
    Pelo processo divino
    Que faz existir a estrada.

    E, se bem que seja obscuro
    Tudo pela estrada fora,
    E falso, ele vem seguro,
    E vencendo estrada e muro,
    Chega onde em sono ela mora,

    E, inda tonto do que houvera,
    À cabeça, em maresia,
    Ergue a mão, e encontra hera,
    E vê que ele mesmo era
    A Princesa que dormia.

    Fernando Pessoa